junho 2017

All posts from junho 2017

10 curiosidades sobre a cachaça

Por kinadofeijao em 29 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

1. Vamos começar com uma paulada: cachaceiro é quem produz cachaça, não quem enche a cara com outras bebidas! Mais respeito com a profissão, por favor!

2. A cachaça é uma bebida destilada do mosto fermentado da cana de açúcar, com teor alcoólico entre 38% e 48%! (Sabe aquele caldo de cana que você toma com pastel do final de semana? É basicamente aquele caldo fermentado e depois destilado).

3. Os ingredientes básicos para a fabricação de mé são cana, água e levedura. Hoje existem mais de 500 variedades de cana no mercado. Destas, cerca de 20 são as mais populares entre os produtores de cachaça!

4. A cachaça é a única bebida no mundo que é envelhecida em mais de 30 tipos de madeiras diferentes – e a maioria delas é brasileira! Ou seja, não se encontra em outro país. Enquanto isso, as outras bebidas destiladas, como o Uísque, são envelhecidas apenas no Carvalho. A cachaça é envelhecida em Amburana, Bálsamo, Jequitibá, Amendoim, Ipê, Freijó entre outras!

5.A cachaça é o destilado mais antigo da América Latina. Apesar de não ter muitos registros, é muito provável que a cachaça tenha sido – intencionalmente – destilada pela primeira vez entre 1516 e 1526. Existem 3 versões de onde surgiu a primeira cachaça destilada A) Em 1516, na Feitoria de Itamaracá, onde hoje é o atual litoral pernambucano. B) Em 1532 na região de São Vicente, atual cidade de Santos. C) na Bahia na região de Porto Seguro em 1520!

6. A cachaça pode ser considerada o avô do Rum. A diferença entre esses dois destilados são basicamente: A) Para fazer cachaça, se destila o caldo de cana fermentado, que chamamos de mosto, enquanto o rum é o destilado do melaço, caldo de cana cozido. B) O teor alcoólico da cachaça varia entre 38 % e 48%, enquanto o do Rum veria entre 35% a 54%. Ah, e claro, o Rum teve origem nas colonias britânicas no Caribe.

7. A primeira garrafa industrializada de cachaça foi produzida em 1756. Hoje essa garrafa está preservada em uma das maiores coleções particulares do Brasil, na cidade de Lagoa do Carro, Pernambuco.

8. Existem basicamente dois processos para se fazer cachaça: o Industrial, geralmente usado para produzir grandes quantidades de cachaça. Aqui, o mosto é destilado em Colunas (foto). E há, depois, o artesanal, em que o mosto é destilado em alambiques (foto) de cobre. A produção aqui é mais lenta e em quantidade menor, e resulta em uma cachaça com sabor mais complexo. O cobre, neste caso, é considerado, também, um ‘’ingrediente’’ que melhora o sabor da cachaça!

9. Hoje existem cerca de 40.000 produtores de cachaças de alambique, entre esses estão os registrados e os ilegais.

10. O Brasil produz cerca de 1.2 bilhões de litro por ano. Isso representa cerca de 6.29 litro por habitante. Isso torna a Cachaça o terceiro destilado mais consumido do mundo, ficando atrás apenas do Soju, destilado de arroz chinês, e da Vodka!

Leia Mais

Bolinho de carne moída

Por kinadofeijao em 25 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

INGREDIENTES

  • 1/2 kg de carne moída
  • 3 colheres (sopa) de farinha de trigo
  • Cebola
  • Alho
  • 1 ovo
  • Temperos a gosto

MODO DE PREPARO

  1. Tempere a carne moída com alho, cebola e temperos a gosto;
  2. Adicione o ovo e a farinha de trigo;
  3. Amasse bem até que toda farinha não apareça mais;
  4. Faça bolinhas e deixe fritar bem, para que não fique cru por dentro
Leia Mais

História do cuscuz

Por kinadofeijao em 22 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

O cuscuz, que hoje é consumido no Brasil, é um prato típico africano que teve origem em Maghreb, no norte da África, pelos povos berbere, que espalharam o prato para as regiões Central, Ocidental e Atlântica do país, sendo produzido com sêmola de cereais (que podia ser polvilho, milho, trigo, farinha ou mandioca). É um dos pratos mais requisitados entre os mouros e árabes e faz parte da cultura desses povos.

Foi trazido para o Brasil durante a colonização dos portugueses, no século XV. Nessa época, a produção da farinha de milho era feita de forma artesanal, ou seja, quando o milho poderia ser moído. Era uma comida destinada às famílias pobres, aos escravos e também aos bandeirantes, que a consumiam junto com carne seca batida no pilão. Muitas vezes, era um prato vendido em tabuleiros pelas mulheres negras ou mercadores, além de outros quitutes. Depois, passou a ser feito industrialmente e distribuído por todo o país.
O cuscuz pode ser produzido com farinha de mandioca, de arroz ou aipim, mas o milho é um dos principais elementos utilizados na preparação do cuscuz brasileiro. É consumido tanto à noite como pela manhã, com manteiga, dissolvido em sopa ou com leite.

Destaca-se em vários tipos, como:

  • Cuscuz Paulista: Feito com farinha de milho ou de mandioca e possui ingredientes tais como palmito, pimentão, tomate, milho, camarão e peixe. A mistura descende dos índios e dos bandeirantes e obteve um estilo mais sofisticado.
  • Cuscuz Nordestino: Feito no vapor, somente com sal e consumido no café da manhã, umedecido com leite de coco. É uma receita fácil e também é uma das mais comercializadas em restaurantes.
  • Cuscuz Maranhense: Feito com flocos de arroz, goma de tapioca, água e sal. Depois de pronto, vai para a cuscuzeira. Ele é chamado também de cuscuz de arroz.
  • Cuscuz Marroquino: Típico do Marrocos feito com sêmola de trigo, sendo possível adicionar ingredientes como legumes, caldos, carnes, frutas secas e temperos. É um prato muito apreciado e temperado. Pode-se adicionar açúcar, canela, leite ou iogurte e consumí-lo como sobremesa ou lanche.
  • Cuscuz de Coco: Feito com coco fresco ralado, açúcar e farinha de milho branco. Para servir, pode-se adicionar cravos e leite condensado.
Leia Mais

Estrogonofre de Camarão

Por kinadofeijao em 18 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

INGREDIENTES

  • 300 g de camarão pequeno
  • Tomate picado
  • Cebola picada
  • 2 colheres de sopa de óleo
  • 1 xícara de molho de tomate
  • 1 lata de creme de leite com soro
  • 1 colher de maizena
  • 1/2 copo de leite
  • Cheiro verde

MODO DE PREPARO

  1. Refogue a cebola e o tomate no óleo;
  2. Junte o camarão e refogue um pouco;
  3. Junte em seguida o molho de tomate deixe levantar fervura;
  4. Dissolva a maizena no leite e junte na panela, assim que engrossar desligue o fogo e acrescente o creme de leite;
  5. Enfeite com cheiro verde e sirva com arroz e batata palha.
Leia Mais

Os benefícios da Cavala

Por kinadofeijao em 15 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

A cavala é um dos peixes oleosos altamente recomendados para uma dieta saudável. É também conhecida como maccarello. O peixe em forma de torpedo é encontrado em águas temperadas e águas tropicais profundas. É rico em óleos essenciais, vitaminas e minerais.

Os ácidos graxos Omega-3 e Omega-6 são encontrados em quantidades elevadas neste peixe. Ele contém vitaminas A, B6, B12, C, D, E e minerais. Estes incluem cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio e selênio. Este peixe também contém proteínas e antioxidantes Coenzima Q10. A cavala tem vários benefícios para a saúde.

Propriedades Anti-cancerígenas
A Coenzima Q10 ajuda a eliminar os agentes cancerígenos a partir de células. Os Antioxidantes reduzem o risco de alguns cânceres. Os ácidos graxos ômega-3 podem ajudar a prevenir o câncer de mama, próstata, renal e de cólon.
Também foi estabelecido que os ácidos graxos marinhos dificultam a proliferação de células de câncer de mama. Vários estudos concluíram que os ácidos gordos essenciais reduzem o risco de câncer de mama. O óleo de cavala contém boas quantidades de vitaminas B12 e selênio, que podem ser úteis no tratamento de câncer.

Imunidade
A Cavala fortalece o sistema imunológico. Ela suporta as funções dos órgãos enfraquecidos por doenças. Os ácidos graxos ômega-3 atuam como um agente anti-inflamatório.
Eles ajudam na gestão da artrite. Eles também ajudam a diminuir o risco de alguns tipos de câncer e doenças cardíacas. A Coenzima Q10 protege as células contra danos que aumentam o risco de câncer. Também aumenta a capacidade do organismo de combater infecções. É um grande alimento a ser incluído na dieta de convalescentes e aqueles submetidos a tratamentos diversos.

Cardiovascular
Inclusão de óleo de peixe na dieta melhora a condição do sangue. Isto promove uma melhor saúde do coração. Os Ácidos graxos essenciais ajudam a diluir o sangue. Isso melhora o fluxo sangüíneo e reduz a pressão arterial.
Ainda, eles evitam a acumulação de colesterol no sangue e impedem a constrição das artérias. Os Ácidos graxos essenciais reduzem os níveis de colesterol ruim e ainda assim mantêm os níveis de colesterol bom. Eles fazem os vasos sanguíneos mais elásticos, o que facilita o fluxo de sangue.
O teor de cálcio na cavala também ajuda a normalizar batimentos cardíacos e a regular a pressão arterial. Para reduzir o risco de doença cardíaca, recomenda-se que duas porções de peixes oleosos sejam incluídos na sua dieta a cada semana.

Desenvolvimento do cérebro e do sistema nervoso
Altas concentrações de Omega-3 são encontradas no cérebro. Foi estabelecido que estes desempenham um papel vital nas funções cognitivas e comportamentais. Isso melhora a memória e o desempenho.
Estes ácidos também previnem o risco de doença de Alzheimer. Os Ácidos graxos essenciais ajudam a prevenir problemas do sistema nervoso central. Eles também facilitam a transmissão eficiente dos impulsos nervosos.

Embora a cavala seja um peixe altamente nutritivo, é recomendado que as mães grávidas e lactantes o evitem. Os peixes podem conter níveis elevados de mercúrio, especialmente se provenientes de águas poluídas. Quando consumidos por mulheres grávidas, podem danificar o sistema de desenvolvimento da criança. Estes também apresentam riscos para a saúde da mãe.

Leia Mais

Torta de Frango sem lactose

Por kinadofeijao em 12 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

INGREDIENTES

  • 200 g de farinha de trigo (ou mais se precisar, a massa fica grossa, não mole)
  • 200 ml de leite (zero lactose)
  • 1 ovo
  • 50 g de queijo ralado
  • 1 colher (chá) de fermento
  • 100 ml de óleo
  • 1 pacote de molho pronto de tomate
  • 1 lata de milho em conserva (sem o líquido)
  • 1 peito de frango (cozido e desfiado)
  • queijo ralado para decorar
  • orégano para decorar
  • tomate a gosto para decorar

MODO DE PREPARO

  1. Bata no liquidificador o ovo, o leite, o óleo, a farinha de trigo, o queijo e o fermento
  2. Unte com margarina e farinha de trigo uma forma, pode ser de alumínio (25 cm)
  3. Em uma panela reservada misture o frango, o milho e o molho de tomate
  4. Coloque na forma untada um parte da massa que fez no liquidificador
  5. Coloque o frango por cima e depois a outra camada de massa
  6. Decore com rodelas de tomate, o queijo ralado e o orégano
  7. Leva ao forno preaquecido 180° C, por aproximadamente 35 minutos
  8. O queijo em cima vai ficar bem dourado
  9. Faça o teste com uma faca, furando a massa e se tiver seca quando sair, está pronto
Leia Mais

Coxinha de frango

Por kinadofeijao em 8 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

MASSA

  • 2 litros de água
  • 1 kg de farinha de trigo peneirada
  • 2 caldos de galinha
  • 1 colher de margarina
  • 1 colher rasa de sal
  • 1 colher de colorífico

RECHEIO

  • 1 kg de peito de frango cozido e desfiado
  • 2 cebolas médias picadas
  • 1 xícara de salsinha picada
  • pimenta vermelha picada a gosto
  • 2 dentes de alho amassados
  • sal a gosto
  • colorífico a gosto
  • óleo ou azeite de oliva

PARA EMPANAR

  • 2 claras
  • 1 litro de água
  • 1 pitada de sal
  • 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 kg de farinha de pão

MODO DE PREPARO

PARA A MASSA

  1. Em uma panela, junte a água (de preferência a água que cozinhou o frango), os dois caldos de galinha, a margarina, o sal e o colorífico
  2. Deixe a mistura no fogo até ferver
  3. Após levantar fervura, junte a farinha peneirada e, com o auxílio de uma colher de pau, vá mexendo sem parar até que a massa desgrude da panela
  4. Retire a do fogo e coloque sobre uma superfície lisa e untada com margarina
  5. Deixe esfriar e vá sovando a massa constantemente para não criar casca

PARA O RECHEIO

  1. Em uma panela com óleo ou azeite, adicione o alho amassado, a pimenta vermelha picada e a cebola picada, frite tudo até dourar, junte o peito de frango cozido e desfiado e refogue por alguns minutos
  2. Junte o sal e o colorífico
  3. Desligue o fogo e acrescente a salsinha picada, misture bem e deixe esfriar

PARA A MONTAGEM

  1. Passe um pouco de manteiga nas mãos, pegue uma porção da massa (dependendo qual seja o tamanho desejado da coxinha), faça uma bolinha e com o auxílio do dedo indicador faça uma cavidade na massa
  2. Coloque uma porção do recheio e feche pinçando a boca da cavidade com a parte interna do polegar e do indicador

PARA EMPANAR

  1. Misture a água e as claras, bata com o auxílio de um garfo por alguns minutos, junte o sal a farinha de trigo e bata até que as bolinhas de farinha desapareçam
  2. Passe as coxinhas prontas por essa mistura, tire o excesso e passe pela farinha de trigo
  3. Após terminar de empanar as coxinhas, repita a operação

PARA FRITAR

  1. Em um tacho ou panela funda, coloque óleo suficiente para cobrir a coxinha, deixe esquentar bem (190º a 200º C) e frite as coxinhas aos poucos para que o óleo não esfrie, o que pode fazer com que as coxinhas venham a rachar
  2. Espere dourar bem, escorra e aproveite
Leia Mais

Bolo de Fubá no liquidificador

Por kinadofeijao em 5 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

INGREDIENTES

  • 1 copo de óleo
  • 3 ovos
  • 1 e 1/2 copo de açúcar
  • 2 copos de fubá
  • 1 copo de trigo
  • 1 copo de leite
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 pitada de sal

MODO DE PREPARO

  1. Bater tudo no liquidificador
  2. Colocar em uma forma untada com margarina e polvilhada com trigo ou fubá
  3. Assar em forno preaquecido a 180ºC por 45 minutos
  4. Quando sair do forno polvilhar com açúcar e canela
Leia Mais

Caldo de Mocotó

Por kinadofeijao em 1 de junho de 2017 , Nenhum Comentário

INGREDIENTES

  • 1 mocotó, cortado em rodelas e bem lavado
  • Água o suficiente para cozinhar o mocotó
  • 1 cebola grande picada
  • 2 dentes de alho amassados
  • 1/2 xícara (chá) de coentro
  • 3 colheres (sopa) de salsinha
  • 2 colhres (sopa) de hortelã picada
  • 1 colher (sopa) de extrato de tomate
  • Pimenta malagueta ou pimenta vermelha a gosto
  • 5 colheres (sopa) de azeite

MODO DE PREPARO

  1. Cozinhar na panela de pressão o mocotó com a água e todos os temperos
  2. Deixe apurar o caldo até que os ossos se soltem
  3. Retire as rodelas de ossos, tirando bem o restante de carne
  4. No caldo já apurado, junte o azeite , sirva com farinha e molho de pimenta
Leia Mais
Clube